quarta-feira, 28 de setembro de 2016

WC Piso Social


Quando se remodela uma casa com mais de 22 anos, uma das coisas que saltam mais à vista, antes das remodelações são as casas de banho e a cozinha (pelo menos para mim!) É onde se nota mais os anos da casa, a época em que foi construída e é seguramente aquilo que queremos ver renovado quanto antes.
Pessoalmente achava as casas de banho desta casa muito feias, sendo inclusivamente que tinha uma casa de banho cor de rosa, com flores cinzentas em tinta brilhante e com louças sanitárias também cor de rosa e com direito a uma bela cortina de folhos na janela.... Algo que actualmente não se usa, nem faz parte das minhas preferências em decoração.
Quando as obras começaram, e depois da escolha dos materiais, estava desejosa de ver as casas de banho que tinha planeado prontas - mas infelizmente são das últimas coisas a vermos prontas. Antes disso há imensas coisas que foram feitas primeiro.
De uma casa de banho mais banal, datada e em tons de cinza, passamos para uma casa de banho preta, em azulejo preto a imitar xisto com chão de mosaico a recriar um chão de madeira (eu queria chão flutuante na casa de banho de serviço, uma vez que não tem zona de banho, mas este foi o consenso encontrado com o Miguel!) A louça sanitária é branca, que contrasta bem com os mosaicos pretos e o chão clarinho. A casa de banho não ficou pesada, nem escura, porque a tem luz natural, e o branco da porta, louças e o espelho ajudam a tornar o ambiente “menos pesado”.
O que eu gosto particularmente nesta casa de banho - além da particularidade dos materiais escolhidos - é o espelho que optamos por colocar. Pessoalmente não gosto dos tradicionais  espelhos de casa de banho, com luzes e prateleiras, e existem imensas opções giras actualmente. E gosto muito do nosso espelho vintage, que herdei da minha avó. Não era um espelho de casa de banho, mas sim um espelho decorativo para colocar num hall ou divisão mais nobre. Acho que o facto de ser dourado e com muitos pormenores dá outra vida à casa de banho e dá-lhe um destaque diferente, ideal para uma casa de banho social.


Os restantes promenores fazem o resto. Porta-velas em dourado/cobre no parapeito da janela, um móvel em forma de escada para decorar a casa de banho e onde estão vários elementos decorativos como pequenos potes e velas. E, sendo uma casa de banho social, em vez de uma toalha de mãos, várias pequenas toalhas individuais bem dobradinhas dentro de um cestinho da Zara Home que, depois de usadas, se colocam num outro cesto que se encontra no chão. (Tenho dezenas destas pequenas toalhas que compro na Primark!)

Esta é, sem dúvida a minha casa de banho favorita, fora do convencional, mas funcional, como se quer!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Garrafinhas em Caixa - DIY


Foram muito apreciados pelos mais pequenos as minhas garrafinhas com palhinhas, especialmente preparadas para eles.
Houve até quem me perguntasse onde tinha comprado! Na verdade foi um simples projeto caseiro, que não me custou quase nada, e que fica realmente engraçado e perfeito para festas infantis.
Para estes projeto precisei apenas de:
12 garrafinhas de vidro de Compal (pedi que no café onde vou habitualmente que me guardassem as garrafinhas até ter 12. Depois lavei bem, retirei os rótulos e esterilizei)
1 caixa de madeira (esta era uma caixa de 2kg de morangos de uma compra cá para casa)
tinta branca
1 etiqueta preta + caneta corretora branca para escrever
12 palhinhas coloridas (estas foram compradas nas lojas DeBorla, mas existem também nas lojas de decorações para festas e até nas lojas chinesas)

Depois das garrafas lavadas, o projecto demorou o tempo de pintar de branco e deixar secar a caixa de madeira (por acaso até foi o Miguel que pintou a caixa). Depois de seca, colei a etiqueta preta (comprei já há uns tempos na Tiger) onde tinha escrito com caneta corretora a palavra “bebidas”.
Depois foi só colocar uma palhinha em cada garrafinha, colocar as garrafinhas na caixa e está pronto a usar.
Mais simples é impossível! Espero que gostem!


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Aniversário no Jardim e uma Festa para Todos (e como organizei a festa!)


A semana que passou não foi fácil. Com dois filhos a fazerem anos num espaço de menos de 1 semana, e uma festa para cerca de 30 adultos e 12 crianças para preparar, o meu tempo foi quase todo ocupado a preparar o jardim e a cozinhar para receber os amigos e a família. Ainda bem que o tempo ajudou, e foi possível uma festa simples mas bonita para os meus dois filhos!
Como habitualmente me pedem sempre muitas ideias e sugestões de organização de festas/almoços/lanches para muitas pessoas, este post serve para esclarecer algumas dúvidas que possam ter, e para vos tentar ajudar a prepararem algo do género.
Sei que muitas vezes têm dúvidas quanto às quantidades e, a título exemplificativo, e para este número de convidados vou deixar uma listagem de tudo o que fiz.
A festa estava marcada para as 16h30 - sendo que era uma festa de crianças, com crianças e adultos, mas apenas família e amigos próximos. Mesmo assim eramos muitos. A ideia era um lanche, sendo que há sempre espaço para jantar. Ou seja, todos ficaram para o jantar! 
Normalmente divido a comida em duas fases: para a parte de lanche, coloco salgados e todas as sobremesas e fruta. E só depois de cantarmos os parabéns e de comermos o bolo, é que há espaço para o jantar (e o jantar normalmente comporta 1 ou 2 pratos quentes e sopa ou canja), sendo que as sobremesas são o que sobrou do lanche.



O que preparei então?
Na fase do lanche, havia uma tábua de queijos - com queijo da Serra, queijo da ilha, queijinhos de vaca curados, camembert e brie (1 unidade de cada). Havia também uma tábua de enchidos com presunto, salami, paiola e chourição alentejano (cerca de 250g de cada) e duas variedades de patês, uma de fígado de aves e outra de porco. Pão fresco, tostas e bolachas de água e sal, assim como azeitonas retalhadas. Ainda nos salgados fiz dois pães recheados, uma espécie de pizza enrolada (receita do blogue com o nome de pãozão e que podem encontrar aqui: http://paracozinhar.blogspot.pt/2007/07/pozo.html). Fiz ainda uma tarte salgada de atum, uma salada de massa (receita aqui: http://paracozinhar.blogspot.pt/2016/09/salada-de-massa-com-bacon-cogumelos.html) e uma empada folhada de frango e alho francês (mais simples do que fazer empadinhas em doses individuais, coisas que evito quando cozinho para tantas pessoas!)
Compre ainda crossaints folhados em miniatura, cerca de 35 unidades que fiz com queijo e fiambre para os mais pequenos.



Nos doces preparei além dos dois bolos de aniversário, uma Pavlova com Curd de Limão (http://paracozinhar.blogspot.pt/2016/02/pavlova-de-limao.html), um bolo de bolacha e café (http://paracozinhar.blogspot.pt/2007/02/bolo-de-bolacha-e-caf.html), uma tarte de maracujá (http://paracozinhar.blogspot.pt/2015/09/tarte-fria-de-maracuja.html), uns muffins simples de framboesas e de chocolate, uma tarte de requeijão e de amêndoa, baba de camelo (http://paracozinhar.blogspot.pt/2008/11/baba-de-camelo.html) e leite creme caseiro (http://paracozinhar.blogspot.pt/2012/04/leite-creme-de-laranja-e-baunilha.html). Havia ainda melão em cubinhos, uvas e ananás em pedaços.
Todas estas coisas estavam prontas a serem servidas e nas mesas às 16h30 e foram o lanche. 
Lanchamos, convivemos, conversamos e os miudos correram e brincaram pela relva, jogaram futebol com a baliza insuflável e brincaram na tenda e no tapete das brincadeiras com os legos. os playmobil e os carrinhos. Foi uma animação para os miúdos e um descanso para os adultos. (a grande vantagem de existir um jardim!)
Por volta das 19h00 cantámos os parabéns e só por volta das 20h servi o jantar.
Nessa altura tinha canja de galinha, uma pá de porco assada em forno lento, e que servi desfiada para colocar em paezinhos bijou (comprei cerca de 40, mas não se comeram todos) com salada e maionese de lima e malagueta e ainda dois tabuleiros de Bacalhau rápido : http://paracozinhar.blogspot.pt/2008/03/bacalhau-rpido.html  - mas do qual um ficou por abrir, e que acabou pro ser o almoço do dia seguinte.



A decoração foi simples: mesas com toalhas brancas, louça branca, copos, frascos de vidro com as talheres espalhados pelas mesas e na mesa de apoio, Uma pequena mesa tinha a “coffee station”, com a máquina de capsulas pronta a ser usada, capsulas e um tabuleiro com chávenas de café, e uma cestinha com pacotinhos de açúcar e colheres - deixa de haver preocupações em tirar café e cada um vai tirando o seu quando lhe apetecer.
Optei por ter várias mesas. Numa delas, debaixo no nosso “lounge”, coloque a tábua de queijos e enchidos, os patês, pão e tostas e azeitonas. Era onde tambem estavam as taças de espumante e alguns talheres.



Na mesa principal, debaixo da nossa pérgula (e que habitualmente é a nossa zona de refeições no jardim, também com toalhas brancas, estavam todas sobremesas, fruta e restantes salgados).
Na banca da churrasqueira - que serviu como apoio, havia mais pratos, copos e talheres.
Havia ainda uma pequena mesa com os bolos de aniversário, as garrafinhas com palhinhas para as bebidas das crianças e sumo de laranja natural.
As restantes bebidas refrescaram numa tina de zinco (do IKEA) cheia de gelo, e onde estavam as minis, as garrafas de vinho verde e espumante e os refrigerantes, e onde cada um se podia ir servir.
As decorações da festa: balões, grinaldas, marcadores com o nome das sobremesas e os palitos com corações identificativos, foram todos comprados ou nas lojas Tiger ou na loja chinesa a que vou habitualmente, e não gastei mais de 10 euros com todas essas decorações. Os guardanapos das estrelas são na marca KASA do continente, e as garrafinhas com as palhinhas foram um projeto DIY meu, que vos explicarei noutro post. 



No final ninguém passou fome e ainda sobrou comida para 7 adultos e 5 crianças almoçarem no dia seguinte e ainda há uns restos de sobremesas pelo frigorífico!
Dá algum trabalho, mas com organização e ideias simples é possível fazer uma festa simpática para todos. 

Espero que tenham ficado de certo modo esclarecidos - já que tantas vezes me fazem perguntas acerca da organização, ementas e quantidades neste género de festas.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

93 dias para o Natal


Estamos a 93 dias do Natal. E eu, não me tenho esquecido de aqui vir, mas entre a entrada do pequeno Zé Maria para o Jardim de infância, e os aniversários deles (um fez anos no domingo, e o outro faz anos sábado) o tempo tem sido pouco.
Mas a pergunta que se põe é: Quem é que já começou a tratar de coisas para o natal?
Por aqui já existem 10 prendas compradas e encomendadas. Mais duas que já estão decididas, mas ainda não tratei delas. 
Quanto aos cabazes, existem já imensas receitas compiladas que gostaria de fazer, mas às quais ainda tenho de fazer uma triagem e seleccionar o que realmente interessa. 
Já tenho imensos frascos para as compotas e afins, e já passei revista nas coisas que sobraram do ano passado para ver o que tenho ainda de comprar. Para já há sacos e papel de celofane que chega e sobra, há fita de sisal, mas necessito de fitinhas de tecido e de “recipientes” para os cabazes em si, que ainda não vi nem pensei numa alternativa que me agradasse. 
Ainda nem sequer pensei nas etiquetas e vou deixar isso mais para a frente.
Mas já tenho algumas compotas feitas - de melão com baunilha, de courgete, e sei que vou fazer as mais clássicas que todos gostam: a de abóbora. E também vou fazer marmelada que não tarda começa a época dos marmelos.

Ainda não há muita coisa, mas aos poucos tudo se começa a compor, porque afinal faltam poucos dias. E de Outubro até ao natal passa o tempo mesmo muito depressa.

Para quem ainda não começou mas está a pensar nisso, aconselho-vos a começarem a organizarem-se! Mesmo! Escolham receitas - há imensas receitas e ideias aqui neste blogue, basta pesquisarem nos anos anteriores, nos meses de Novembro e Dezembro. Comecem a olhar para tudo o que têm em casa com olhos de natal. Guardem os frascos todos e se têm poucos peçam à mãe, avó ou aos amigos. Guardem tudo o que possa servir para os cabazes, sejam latas de achocolatado para o leite, sejam caixas de sapatos dos miúdos que podem forrar e fechar com papel celofane, sejam até caixas de madeira de morangos e outras frutas que podem simplesmente pintar.
Comecem a comprar fitas, papeis, etiquetas....e tudo o que encontrarem e que possa servir para os cabazes. Confesso que há anos que compro em excesso, mas acabo sempre a usar no ano seguinte.

E pronto, a 93 dias do natal não há mesmo tempo a perder!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Soluções DIY: Armário duplo


Regressada a casa é hora de recomeçar com as partilhas por aqui.
Tenho recebido muitos comentários e mails, para continuar com “pequenas dicas” de como organizo as coisas na nova casa, assim como de algumas das nossas soluções DIY. O post de hoje é exatamente sobre isso.

Como todos sabem, não há casas perfeitas. Acho que nem mesmo quando se idealiza uma casa de raiz esta é perfeita, porque faltará sempre alguma coisa que poderíamos ter melhorado. No nosso caso, depois das obras e das nossas alterações feitas, a casa ficou quase perfeita para nós, tirando o pequeno grande inconveniente das escadas! A nossa casa tem vários andares e obriga a andarmos sempre para cima e para baixo. A cozinha é num piso, os quartos noutro, a lavandaria noutro e o escritório noutro. Andamos sempre para cima e para baixo porque usamos a casa na sua totalidade. Não faz sentido ter espaço e áreas e depois viver apenas numa parte da casa. No nosso caso, fazemos uma utilização total da casa, mas o que nos obriga a subir e descer escadas. É mesmo assim, não se pode ter tudo.

O que acontece é que isso nos “obrigou” a uma gestão de organização, para não termos de andar sempre a subir e descer escadas com coisas, porque precisamos dela noutros andares. É o caso da louça que existe para a churrasqueira, (assim como uma máquina da louça), para não andar com louça da cozinha para cima e para baixo de cada vez que queremos fazer um churrasco!



Mas ainda mais importante que isso, é a questão do aspirador, balde, vassouras e esfregonas, Guardar tudo isto no piso da lavandaria onde temos enormes armários era a solução mais indicada, mas obrigava-nos a subir com tudo todos os andares da casa. Assim arranjamos outra solução. Além de termos baldes, vassoura, esfregona para o andar de baixo - lavandaria e zona exterior - temos em duplicado para usar em casa. O problema era onde arrumar, uma vez que na cozinha não há despensa. 
Ao lado da nossa casa de banho social, entre a cozinha e a sala, temos um pequeno armário. Serve para colocar os nossos casacos ou de quem nos visita, e tem gavetas onde arrumo algumas toalhas de mesa e individuais para a sala e cozinha, além de espaço para as mantas do sofá, que usamos durante o inverno. Mas o armário tinha tamanho suficiente para outra coisa, pelo que engenhoso do meu marido, numa ida ao Leroy Merlin resolveu o assunto. Compramos madeira e dividimos o armário ao meio. De um lado os casacos, do outro arrumação para o aspirador, vassoura, esfregona e afins. À mão para usar na cozinha ou na sala e a apenas um andar dos quartos.



Não tendo uma pequena despensa na zona da cozinha e querendo as coisas à mão, sem ser dentro da casa de banho, a solução serve bem para nós, e é uma maneira de usar um armário (que fica resguardado ao lado da porta da casa de banho) que tinha pouca utilidade.
Uma solução simples, barata e que se fez em pouco mais de uma hora, e que nos permitiu um espaço de arrumação duplo.


Têm alguma coisa do género em vossas casas?

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Fazer Malas


Estou em véspera de ir de férias, de rumar a sul para uns dias de praia.
E chegou a altura de fazer as malas!! Não sei se sabem mas eu A-D-O-R-O fazer malas. A sério! Mesmo tendo de fazer a minha mala e a dos miúdos é uma tarefa que gosto bastante e faço de forma bastante rápida, usando alguns pequenos truques que facilitam muito esta tarefa!
Em primeiro lugar, cada um dos miúdos tem uma mala, e nós (eu e o Miguel) partilhamos uma mala. Pessoalmente acho mais fácil - no caso dos miúdos - não andar a olhar para os calções e as t-shirts a pensar de quem são. Sendo assim cada um tem a sua mala onde são arrumadas as suas coisas respetivas.

Outra coisa que me simplifica muito o trabalho - e isto é valido para cada um de nós - é termos sempre uma bolsinha de produtos de higiene pronta a levar para qualquer lado com tudo o que precisamos, e que eu guardo dentro da mala de cada um de nós. Ou seja, dentro da mala de cada um dos miúdos já existe uma bolsinha onde está a escova e a pasta de dentes, o gel de duche, o hidratante, a água micelar, a escova, lima e tesoura de unhas, soro fisiológico (e no caso do pequeno António ainda há bebegel) Dentro de uma das bolsa há também um termómetro para qualquer necessidade. As embalagens são todas das pequenas de viagem, e dão perfeitamente para 15 dias de férias. Logo à partida isto está sempre arrumado dentro das malas deles - nas tais bolsinhas - e na hora de fazer a mala é só colocar as roupas lá para dentro.

A nossa bolsa necessaire  é mais composta, mas também está sempre pronta a sair. Escovas e pasta de dentes, desodorizante, champoo, gel de duche, hidratante, elásticos para o cabelo, pinça e corta-unhas, gel para lavar o rosto, hidratante facial, coisas das minhas lentes de contacto, coisas para fazer a barba para o Miguel (e sim temos tudo em versão de viagem, mesmo o gel de barbear), perfumes, escova de cabelo.. Está sempre pronto a usar até porque de cada vez que vimos de qualquer lado, a primeira coisa que faço é repor o stock de modo a que esteja pronta para a próxima saída.
Sim, isto obriga-nos a ter sempre mais do que uma escova/pasta de dentes/ desodorizante/.... a uso. (Mas é muito prático e posso dizer que faço assim as malas para os 4 em pouco mais de 15 minutos!)
Uma coisa que anda sempre - não na mala, mas na minha carteira  - é um carregador extra para o telemóvel, assim como os meus óculos, o que facilita também na hora de sair para férias ou para uns dias fora!
Também facilita levar sacos para a roupa suja - para vir logo pronta a colocar na máquina, já separada. Assim também facilita no hora de desfazer a mala.



Como as nossas férias são muito simples - pouco mais que casa-praia - casa e uma ou outra saída para jantar ou tomar café muito ocasional, as roupas que levamos são muito simples: fatos de banho, t-shirts e tops, calções, túnicas para levar para a praia, roupa interior, chinelos e sandálias rasas  e eu levo dois ou três vestidos e o Miguel alguns pólos e uma ou duas camisas. Para os miúdos pouco mais que calções e t-shirts (muitas) e um agasalho. Tudo roupa que se coloca na mala em poucos minutos, mais umas crocks para a praia, umas sapatilhas e umas alpercatas. Sem nos esquecermos dos chapéus que, como estão sempre no carro, estão sempre disponíveis!

No nosso caso, e como fazemos férias na praia, há sempre um outro saco que vai já preparado com as toalhas e os chinelos de praia, a bolsa com os protetores solares. Nunca coloco nada disto na mala e levo direto no saco de praia. Basta pegar e levar para a praia! Como estas coisas são lavadas e passadas no fim do verão e colocadas numa caixa de arrumação, basta depois abrir a caixa e colocar direto no saco. Nem dois minutos demora a preparar!

O que depois é chato é andar a arrumar as restantes tralhas que temos de levar, desde as fraldas do António, ao leite, aos brinquedos, ao livros e máquina fotográfica e computador, e as tralhas alimentares dos meninos...


Alguma outra sugestão ou ideia para facilitar a hora de fazer malas?

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Organização da Despensa




Perguntam-me muitas vezes como é que, desde que mudei de casa, passei a organizar a nossa “despensa”. Ora bem, tal como na outra casa, quando pensamos e desenhamos a nossa cozinha, optamos por manter o armário despenseiro. Pessoalmente acho mais prático ter tudo assim perto e arrumado dentro do armário. Claro que na cozinha só guardo os bens alimentares.
Tudo o que seja detergentes, papel higiénico, e outros volumes maiores - e como temos espaço - são guardados na lavandaria.
Acabo a ter duas portas para o armário despenseiro - uma do lado direito do forno e do microondas, e outra do lado esquerdo. De um dos lados, guardo as coisas que ainda não estão abertas. As embalagens novas de farinha, açúcar, massa, café, arroz, sal, o atum, o tomate pelado.... a água das pedras, os rolos de papel de cozinha, os guardanapos de papel, o azeite,  e as caixas onde tenho algumas coisas mais dedicadas à doçaria, como folhas de gelatina, chocolate de culinária, pepitas de chocolate ou pasta de baunilha.
Do outro lado é que há mais “movimento”, e onde guardo as coisas que utilizo quase diariamente: as farinhas diversas (de alfarroba, de trigo, trigo sarraceno, centeio) de , as massas que estão abertas e a uso, os vários tipo de arroz, as leguminosas secas, os frutos secos, os fermentos e as muitas caixinhas e frascos com tudo o mais alguma coisa: açúcar (branco, demerara, amarelo, em pó, mascavado), coco ralado, e em lascas, sementes de girassol, de abóbora, de linhaça, Passas e chips de banana seco. Cacau em pó. A aveia.
Há também caixas de arrumação onde coloco sacos de plásticos para arrumação vária, e as restantes prateleiras servem para arrumar pequenos eletrodomésticos ou outras coisas que se usem menos vezes. (Normalmente nas prateleiras de baixo)
Na verdade são ainda algumas coisas, mas uma variedade de produtos que me permite cozinhar o habitual aqui por casa.
Apesar de haver sempre uma ou duas tabletes de chocolate por aqui, dificilmente encontrarão bolachas, batatas fritas de pacote, ou alimentos mais processados, que raramente entram na lista de compras e consequentemente na despensa cá de casa.
Para nós o espaço é mais do que suficiente para as mercearias.


E vocês? Como organizam a vossa despensa? Onde arrumam as vossas mercearias. Há caos ou há ordem?